Nova gestão municipal recebe as primeiras reivindicações dos idosos de São Paulo

Maria Aparecida Costa representando o Fórum Permanente de Políticas Públicas para Pessoas Idosas do Centro Paulistano, entregando documento para o futuro secretário Paulo Uebel. Foto: jornal3idade.com.br

Maria Aparecida Costa representando o Fórum Permanente de Políticas Públicas para Pessoas Idosas do Centro Paulistano, entregando documento para o futuro secretário Paulo Uebel. Foto: jornal3idade.com.br

Aproveitando o evento Desafios e Prioridades para a cidade de São Paulo: propostas para a Nova Gestão, promovido pela Rede Nossa São Paulo, na noite  de 7 de dezembro, na Câmara Municipal de São Paulo, representantes de movimentos de idosos entregaram para os representantes da nova gestão municipal, suas reivindicações.

A representante do Fórum Permanente de Políticas Públicas para Pessoas Idosas do Centro Paulistano, Maria Aparecida Costa, entregou nas mãos do futuro Secretário Municipal de Gestão, Paulo Uebel, um documento apresentando as conquistas dos últimos dois anos e as questões que serão trabalhadas em 2017, para melhorar a qualidade de vida das pessoas mais velhas, na região mais velha da cidade de São Paulo. Na plateia estavam outros membros do Fórum, que ajudaram a redigir o documento.

A presidente da ONG Nosso Sonho, Maria do Socorro Alves, liderança conhecida da Zona Leste, entregou cópia do documento que ela e outra liderança de idosos da região de Ermelino Matarazzo- Olavo de Almeida Soares- entregaram no período de campanha, para todos os candidatos para a Prefeitura de São Paulo. Na ocasião, o ainda candidato João Dória se comprometeu a ler e estudar as propostas.

Maria do Socorro Alves, liderança de idosos da Zona Leste da Capital, lembrando que já tinha entregue documento para o prefeito eleito João Dória, quando ele ainda era candidato. Foto: Jornal da 3a Idade

Maria do Socorro Alves, liderança de idosos da Zona Leste da Capital, lembrando que já tinha entregue documento para o prefeito eleito João Dória, quando ele ainda era candidato. Foto: Jornal da 3a Idade

O evento na Câmara Municipal de São Paulo  promovido pela Rede Nossa São Paulo reuniu mais de 70 organizações da sociedade civil para transmitir as suas propostas para o prefeito eleito João Dória.

Nas palavras de Oded Grajew, de 72 anos, coordenador da Rede Nossa São Paulo, também um dos idealizadores do Fórum Social Mundial, que estava na mesa da solenidade, ontem ao oferecer as propostas à gestão, o objetivo das organizações é oferecer contribuições para que a futura administração, que toma posse no dia 1º de janeiro, torne a cidade mais humana, justa e sustentável.

  O Fórum da Região Central

O Fórum Permanente de Políticas Públicas para Pessoas Idosas do Centro Paulistano nasceu no Seminário Intersetorial de Políticas para os Idosos no Centro, realizado em outubro de 2015, com a participação de vários órgãos e entidades da Região Centro, a RPDI- Rede de Proteção e Defesa da Pessoa Idosa do Centro, Fórum do Cidadão Idoso do Cambuci e representantes de secretarias municipais, no âmbito regional da Subprefeitura Sé.

Nesse Seminário foi aprovada – por mais de 400 idosos- a Carta de Outubro- como foi denominado o documento final tirado no encontro, que relacionou 15 propostas prioritárias (entre as mais de 100 debatidas) como meta de trabalho inicial do fórum que nascia.

Em várias das ações realizadas foi fundamental o apoio da Subprefeitura da Sé e de várias Secretarias Municipais.

Por isso os participantes do Fórum- que é independente e suprapartidário – quiseram se antecipar ao início da nova gestão entregando o documento para que os novos gestores conheçam esse trabalho.

Entre os trabalhos realizados em 2016, o documento entregue destacou três importantes iniciativas: 1) a realização de 6 Feiras da Cidadania da Pessoa Idosa com barracas vendendo produtos produzidos pelos idosos que participam de oficinas promovidas pela Prefeitura de São Paulo e Ongs parceiras; 2) a construção do Mapa da Pessoa Idosa do Centro, com todos os serviços oferecidos pelo poder público municipal da região central; 3) a Implantação do Melhor em Casa no Centro (EMAD- Equipe Multiprofissional de Atenção Domiciliar).

Para a continuidade do trabalho do Fórum Permanente de Políticas Públicas para Pessoas Idosas do Centro Paulistano em 2017  foram destacadas 8 prioridades: 1) Continuidade dos dois encontros mensais na sala de reuniões da Subprefeitura Sé; 2) A ampliação de programas de acesso de pessoas idosas à moradia, com locação social; 3) Criação do Centro Educacional Unificado (CEU) no Centro com atividades intergeracionais; 4)Implantação de uma ILPI- Instituição de Longa Permanência, Grau 3, pública, no Centro; 5) Melhoria da Mobilidade Urbana com redução de barreiras físicas; 6) Criação de Serviços de Cuidados Continuados e Paliativos, na área da Saúde; 7)Estabelecer através de parcerias com as concessionarias capacitação permanente dos profissionais de transporte; 8) Garantir a manutenção da gratuidade da passagem para os idosos a partir dos 60 anos.

 O Fórum Permanente de Políticas Públicas para Pessoas Idosas do Centro Paulistano idosos trabalha com duas reuniões mensais: uma aberta para todos os representantes de entidades e movimentos da região central e um dos representantes dos bairros de todos os distritos da Região Centro: da Bela Vista, do Bom Retiro, do Cambuci, da Consolação, da Liberdade, da República, de Santa Cecília e da Sé.

Rede Nossa São Paulo

As propostas entregues pela Rede Nossa São Paulo contemplam diversas áreas da administração municipal (saúde, educação, meio ambiente, mobilidade urbana, segurança viária etc.), e foram construídas coletivamente com a participação de entidades de diferentes áreas que atuam na cidade de São Paulo.

O objetivo é que elas possam estar contempladas no Programa de Metas 2017-2020, que terá de ser apresentado em até 90 dias após a posse – de acordo com a Lei Orgânica do Município.

para ampliar as fotos é só clicar em cima delas