Márcio Atalla afirma que idosos têm retorno rápido com atividade física

GERP2017

Márcio Atalla.Foto: reprodução Bem Estar.

Márcio Atalla. Foto: reprodução Bem Estar.

Sabe aquela mensagem que alguns médicos insistem em repetir nas suas palestras de que as pessoas que vão viver até os 120 anos já estão entre nós? Pois ela foi contestada- com muita categoria- pelo conhecido Professor de Educação Física, Márcio Atalla, na palestra que fez para mais de 1600 congressistas na cerimônia de abertura do 10º GERP- Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia, na tarde da última quinta-feira, 6 de abril.

Especializado em Treinamento de Alto Rendimento, e pós-graduação em Nutrição, pela USP, Márcio Atalla citou pesquisas dos Estados Unidos que apontam para uma grande parte das crianças de lá, que hoje estão na faixa dos 6 a 9 anos de idade. Elas poderão viver muito menos dos que os seus pais. As más condições do meio ambiente, o excesso de comida industrializada e principalmente a falta de atividade física vai fazer com essas crianças percam o ganho que a ciência proporcionou para o aumento da longevidade dos seus avós.

Quando eu era criança se a minha mãe me deixasse brincar somente uma hora, eu teria certeza que estava de castigo. Hoje as crianças não brincam na rua, quando não estão sentadas na escola, estão sentadas na frente do computador ou do videogame. Elas não sobem escada, não gastam o que comem, não adquirem hábitos de esporte que vão levar pela vida toda”.

Ele que se tornou popular depois de assumir o quadro Medida Certa, no programa Fantástico da TV Globo, insistiu perante uma plateia repleta de médicos e nutricionistas o que os profissionais já sabem, mas nem sempre preconizam com prioridade para os seus pacientes: não existe envelhecimento saudável sem atividade física regular, incorporada aos hábitos de vida.

Minutos antes de entrar para a sua palestra ele conversou com o Jornal da 3a Idade sobre as perguntas mais frequentes que os idosos fazem quando querem começar ase exercitar, depois de décadas de sedentarismo.

Jornal da 3a Idade – Quando as pessoas lhe procuram pensando em ter um envelhecimento saudável, o que mais elas querem? Qual a maior preocupação dos mais velhos?

Prof. Márcio Atalla – A preocupação dos mais velhos é com manter a autonomia e controlar os fatores de risco com doenças crônicas ou mesmo controlas essas doenças quando já as estão desenvolvendo.

Jornal da 3a Idade – As pessoas ainda se preocupam mais com a estética e com a perda de peso. Em que momento as perguntas começam a apontar para a preocupação com o envelhecimento?

Prof. Márcio Atalla – A perda de peso ainda é a maior preocupação, mas quando as pessoas passam dos 40 anos a coisa começa a mudar e a preocupação vai virando.

Jornal da 3a Idade – Por que as pessoas mais velhas têm tanta dificuldade de incorporar a atividade física no seu dia a dia?

Prof. Márcio Atalla -Não são somente as pessoas mais velhas, mas as pessoas de todas as idades. As pessoas acham que de repente podem passar de sedentárias para atletas, quando na verdade o principal é escolher uma atividade que elas consigam dar continuidade. A regularidade dos exercícios é o mais importante. Mudar hábitos não é fácil para ninguém, mas essa é a tarefa primordial.

Jornal da 3a Idade – O que uma pessoa idosa, que foi sedentária a vida inteira deve fazer para começar a mudar seus hábitos?

Prof. Márcio Atalla – A caminhada é sem dúvida um bom começo para quem é mais velho e está sem condicionamento físico. Não importa a intensidade, o importante é a regularidade é fazer pouco, mas todo dia. Para os idosos o mais importante é manter a massa muscular, pois é isso que vai lhe dar condições de evitar quedas e fraturas.

Jornal da 3a Idade –Os jovens conseguem rapidamente ver os resultados dessa mudança de hábitos. E os mais velhos vão demorar muito para perceber?

Prof. Márcio Atalla – Não é percebido logo também. É claro que quanto mais cedo o corpo é condicionado, mais cedo ele responde, mas os idosos percebem em poucas semanas a diferença.

Outras matérias do GERP 2017:

SBGG-SP realizou o 10º Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia