Elzie Maria Mariano a terceira presidente do GCMI em 1992/1993

Elzie Maria Mariano, 93 anos, presidente do GCMI 1992/1993.Foto: jornal3idade.com.br
Elzie Maria Mariano, 93 anos, presidente do GCMI 1992/1993.Foto: jornal3idade.com.br
Elzie Maria Mariano, 93 anos, presidente do GCMI 1992/1993.Foto: jornal3idade.com.br

Elzie Maria Mariano era vice-presidente do GCMI- Grande Conselho Municipal do Idoso em 1992, quando a presidente era Edith Moura Silveira, que ficou doente e se licenciou no final do primeiro semestre daquele ano.

Foi assim que ela se tornou presidente do GCMI até o termino do mandado daquela gestão, em 1993.

A entrevista com Elzie era uma das mais esperadas dessa “série”, por ser a ex-presidente que teve contado direto com os dois primeiros presidentes do GCMI, por ter participado ativamente dos primeiros movimentos organizados do final dos anos 80, os que trabalharam pela criação de um conselho de idosos.

Elzie – como sempre foi tratada por todos- é reconhecida como a idosa fundadora do 1º Fórum Regional do Cidadão Idoso, em 1996, junto com a assistente social Maria Alice Nelli Machado, na época funcionaria da Prefeitura de São Paulo.

Fui ao encontro de Elzie, no seu apartamento no bairro do Tatuapé, para onde mudou-se há 2 anos, depois de retornar de um período morando em Campinas. Era uma tarde de sábado ensolarado, que iluminava ainda mais seu sorriso. Ela estava bem-disposta, cercada do carinho de três dos seus 5 filhos, que lhe deram 7 netos e 5 bisnetos.

Luiz Antônio, seu único filho, que mora com ela ( as outras são filhas) explicou que devido a recuperação de uma cirurgia ela está permanecendo a maior parte do tempo numa cadeira de rodas. Fisicamente parece bem, mas a memória, aos 93 anos, está lhe traindo.

Não consegui fazer a entrevista. Ela falou que está chateada de não poder mais participar de reuniões. Reclamou da ausência de visitas de algumas das suas ex-parceiras de Fórum Regional, mas teve muita dificuldade de lembrar os fatos e as datas. Quando lembra embaralha um pouco os fatos.

Seus filhos não sabem por “onde andam as fotos” que ela guardava das tantas reuniões que participou, várias delas cobrando diretamente de autoridades projetos para os idosos.

Elzie Maria Mariano com seus filhos, no seu apartamento no Tatuapé, na Zona Leste, da Capital. Foto: jornal3idade.com.br
Elzie Maria Mariano com seus filhos, no seu apartamento no Tatuapé, na Zona Leste, da Capital. Foto: jornal3idade.com.br

Fizemos várias fotografias no seu terraço e me despedi decida a completar suas lembranças, com informações de uma antiga entrevista, que fiz com ela, em 2012.

A militância a partir da terceira idade

Em 2012, ela contou que nascida em Rio Claro de uma família simples, trabalhou muito por mais de cinco décadas. Não conseguiu ter uma boa educação formal, mas se considerava uma pessoa experiente. Fui formada pela universidade da vida, disse na ocasião. Até os 60 anos nunca tinha exercido uma militância continua em movimentos sociais, quando descobriu no bairro que morava um cartaz.  A papeleta chamava as pessoas da região para reuniões promovidas por um grupo de idosos. Foi lá e nunca mais parou. Por esse mesmo grupo foi indicada para ser representante no GCMI, que depois iria presidir.

O Grande do Conselho

Ex-presidentes do GCMI, na Câmara Municipal de São Paulo, em 2014. Foto:jornal3idade.com.br
Ex-presidentes do GCMI, na Câmara Municipal de São Paulo, em 2014. Foto:jornal3idade.com.br

Elzie, numa outra conversa que tivemos em 2010, num baile no Clube Banespa, que fechava todo ano os trabalhos do Fórum de Santo Amaro, fez uma declaração que contraria a versão de assessores da ex-prefeita Luiz Erundina, que foi quem assinou a lei de criação do GCMI, em 1992.

Segundo Elzie, a palavra Grande foi incluída no nome do GCMI porque existia uma disposição do PT-Partido dos Trabalhadores, que era o partido da Prefeita, na época (hoje Luiza Erundina é deputada federal pelo Psol-SP) de fazer um conselho que abarcasse a Grande São Paulo, principalmente pela força do partido na região do ABC. O projeto não conseguiu ir adiante, mas o nome ficou.

A outra versão é que o nome Grande foi incluído no projeto de lei da criação oficial do GCMI, exatamente para diferencia-lo do Conselho da Condição do Idoso, que tinha sido criado em 1984, pelo então Prefeito Mário Covas.

Interfórum

A criação do Interfórum, como espaço de união de todos os Fóruns do Cidadão Idoso espalhados pela Capital, foi o seu projeto mais querido. Ela e a assistente social Maria Cecília Teodoro Sanches- que até hoje é uma das coordenadoras do Fórum do Idoso Colegiado Leste- que reúne sete fóruns da Zona Leste- trabalharam muito pelo Interfórum.

A meta desse trabalho era conseguir criar 32 fóruns de idosos, um cada regional da cidade de São Paulo. Somente 17 foram criados de fato e atualmente a maioria está sem reuniões regulares, embora o InterFórum continue trabalhando para reorganizá-los.