Prefeitura de São Paulo adere ao São Paulo Amigo do Idoso e começa a ser monitorada

Prefeito de São Paulo, João Dória Jr, assinou a adesão da Capital ao programa estadual São Paulo Amigo do Idoso. Foto: jornal3idade.com.br

A Prefeitura de São Paulo aderiu ontem ao programa estadual São Paulo Amigo do Idoso, que foi criado em 2012, pelo Governador Geraldo Alckmin. É necessário cumprir uma série de critérios para que um município consiga a certificação, passando por várias etapas de avaliação. Como na Capital, os requisitos iniciais já existem, a adesão é antes de mais nada um ato político.

No discurso das autoridades, o respeito aos idosos e a busca da qualidade de vida foi a tônica de todos, mas a cerimônia que oficializou a adesão da Capital, com o Prefeito João Dória Jr, secretários estaduais e municipais, pecou exatamente pela falta de uma representação dos idosos da cidade. Ninguém do GCMI- Grande Conselho Municipal dos Idosos estava na mesa representando os mais de 1 milhão e 500 mil idosos que vivem na Capital.

O Secretário Estadual de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, que foi secretario municipal da Assistência Social, em 2005, na gestão do Prefeito José Serra, foi incumbido pelo Prefeito de representar todos os secretários presentes.

O programa São Paulo Amigo do Idoso na Capital será coordenado pela fonoaudióloga, Sandra Regina Gomes, que já responde pela Coordenadoria do Idoso, na Prefeitura de São Paulo.

O Prefeito João Dória Jr leu, no folheto do Programa, os requisitos para a cidade começar a pleitear o selo. São seis: 1 Criar o Conselho Municipal do Idoso; 2 Realizar diagnóstico de gestão sobre as políticas voltadas para o idoso; 3 Realizar diagnóstico com os idosos do município; 4 Incluir ações para garantia dos direitos dos idosos nos planos municipais de saúde e de assistência social; 5 Adequar / ampliar a cobertura vacinal de idosos e 6 Implantar ações de promoção de saúde e prevenção de quedas para idosos.

O Secretário Floriano Pesaro disse que a Capital começa imediatamente a ser monitorada pelo Estado, em todas as ações voltadas para os idosos e que até meados de 2018 ano a cidade terá publicado um perfil dos idosos da cidade.

Segundo o material informativo distribuído entre jornalistas antes de solenidade, existe em todo o Estado de São Paulo 245 municípios que atualmente estão com selo inicial aprovado. O Governo do Estado de São Paulo faz um repasse anual de aproximadamente 6,5 milhões à cidade de São Paulo, para atendimento exclusivo às pessoas idosas em situação de vulnerabilidade.

Na cidade de São Paulo, existem 165 serviços socioassistenciais que atendem, em média, 60 mil idosos em situação de vulnerabilidade. Alguns dos serviços prestados são de convivência e fortalecimento de vínculos; serviços de proteção social básica e especial; e serviços de abrigo institucional e centros de acolhida.

Secretário Estadual, Floriano Pesaro assinando ao lado do Prefeito João Dória Jr a adesão da Capital ao programa estadual São Paulo Amigo do Idoso. Foto: jornal3idade.com.br

Jornal da 3ª Idade – O que significa especialmente para o senhor a adesão de São Paulo ao programa São Paulo Amigo do Idoso?

Secretário Floriano Pesaro – É uma felicidade. O programa São Paulo Amigo do Idoso estimula ações concretas voltadas para os idosos, desde uma praça de esportes até um centro de convivência, desde a mobilidade num desenho universal, até a questão da Saúde e o controle social através dos conselhos. Está todo mundo feliz. São Paulo aderiu ao programa depois de cinco anos. São Paulo foi o primeiro Estado a se tornar um Estado Amigo do Idoso, com ações de qualidade de vida para a convivência dos idosos e não conseguia entrar na cidade de São Paulo.

Jornal da 3ª Idade – O senhor sabe que no Interior as relações são mais próximas do que na Capital. Aqui as coisas acontecem, de um dia para o outro, sem que ninguém fique sabendo como elas se deram. Hoje mesmo está circulando a informação que  o CRECI – Centro de Referência do Idoso, no Centro, está sendo extinto, sem que ninguém tenha recebido uma explicação dos motivos.

Secretário Floriano Pesaro – Eu não quero entrar em comentários sobre a gestão local. Eu como Secretário de Estado não posso julgar quais foram as medidas que levaram a Prefeitura a tomar determinadas medidas para um lado e para o outro. O que eu posso dizer é que ao implantar o São Amigo do Idoso as secretarias estaduais vão acompanhar o desenvolvimento das ações com idosos.

Jornal da 3ª Idade – O programa São Paulo Amigo do Idoso faz todas as ações para implantar, mas depois consegue acompanhar os trabalhos daquela cidade já certificada. Taubaté, por exemplo, tem o Selo Amigo do Idoso, mas o Conselho Municipal do Idoso está parado, os idosos reclamam que o Fundo Municipal não existe e os representantes dos idosos afirmam que não conseguem respaldo das autoridades. Oficialmente é uma Cidade Amiga do Idoso.

Secretário Floriano Pesaro – O município que não cumprir o que foi programado pode perder o Selo Amigo do Idoso. Nós ainda estamos no esforço de implantação nos municípios, mas pode acontecer de perder a certificação, se deixar de cumprir os esforços que lhe deram essa qualificação.

Jornal da 3ª Idade – São Paulo também terá as suas ações monitoradas? O que será feito de imediato na Capital?

Secretário Floriano Pesaro – Vamos fazer um monitoramento de todas as ações da Prefeitura de São Paulo que estão voltadas para os idosos. Vamos avaliar ponto a ponto o que está sendo monitorado, o que está sendo executado.