Raoni, de 90 anos, marcha com jovens nas ruas de Bruxelas em defesa do clima

Raoni marchando pelas ruas de Bruxelas. Foto: reprodução da página do Deutsche Welle, de Berlim.
Raoni marchando pelas ruas de Bruxelas. Foto: reprodução da página do Deutsche Welle, de Berlim.

O líder indígena brasileiro, cacique kayapó Raoni Metuktire, de 90 anos, que iniciou na segunda-feira sua turnê de três semanas por países europeus, marchou ao lado dos estudantes belgas que há cinco meses vêm realizando protestos semanais para pressionar autoridades a agirem contra o aquecimento global.

Raoni aproveitou a marcha, que reuniu cerca de 600 pessoas, para promover sua batalha contra o desmatamento da Amazônia e em defesa de que seja erguida uma barreira de bambu para proteger o Parque Indígena do Xingu contra o tráfico de madeira, animais, ouro e outros elementos.

“Você precisa me ajudar a refazer os limites, as margens [do Xingu]. Isso é tudo que eu peço. Temos que fazer isso neste ano”, pediu o cacique ao prefeito de Bruxelas, Philippe Close, durante uma coletiva de imprensa após a manifestação.

Raoni ainda alertou contra a ameaça das “grandes fazendas” localizadas na reserva do Xingu – cuja área representa seis vezes o tamanho da Bélgica – e disse ter medo das pessoas que estão “destruindo tudo” naquela localidade.

“Eu quero que tudo permaneça como está, porque as árvores fornecem sombra e mantêm a terra fria”, disse o líder indígena, insistindo na importância de preservar a floresta para seu povo.

Após o apelo de Raoni, o prefeito de Bruxelas se comprometeu a liberar “muito rapidamente” ajuda financeira à região brasileira, destacando a importância de uma “batalha urgente” em prol do clima na qual é “necessário o envolvimento de todos”.

Informações publicadas pelo Deutsche Welle, de Berlim