Governo de SP lançou Programa Vida Longa para construir moradia para idosos

No Dia Nacional do Idoso, o governador João Doria,o lado da secretária de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, e do secretário da Habitação, Flavio Amary, lançou o programa Vida Longa. Foto: jornal3idade.com.br
No Dia Nacional do Idoso, o governador João Doria,o lado da secretária de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, e do secretário da Habitação, Flavio Amary, lançou o programa Vida Longa. Foto: jornal3idade.com.br

O governador João Dória, aproveitou ontem, o Dia Nacional e Internacional do Idoso, para lançar o Programa Vida Longa, destinado a construir habitação para idosos de baixa renda.

 No total, serão 50 conjuntos edificados no Estado. Na primeira etapa serão viabilizadas 152 unidades em seis cidades: Barretos (28 unidades), Bauru (22), Bragança Paulista (28), Santa Bárbara d’Oeste (28), São José do Rio Pardo (26) e São Roque (20). Os convênios com as prefeituras serão celebrados ainda neste ano. Está previsto para a primeira fase do Vida Longa um investimento de R$ 18,7 milhões. 

 O governador, ao lado da secretária de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, e do secretário da Habitação, Flavio Amary, explicou, no evento no Palácio dos Bandeirantes, que as prefeituras das cidades que receberão o Programa Vida Longa vão doar os terrenos para a construção dos imóveis e  serão responsáveis pela gestão na sua manutenção. O idoso não pagará aluguel nem contas de água e luz.

Também foram anunciados 45 novos Centros de Convivência do Idoso e Centros Dia do Idoso e a implantação do Serviço de Busca Ativa em Domicílio, a fim de prevenir a fragilização de vínculos, o isolamento social e as situações de violência das pessoas acima de 60 anos, especialmente as mulheres. Para completar o conjunto de ações, foram entregues os “Selo Amigo do Idoso” para os municípios que se destacaram em ações voltadas ao bem-estar das pessoas com mais de 60 anos.

Com essas novas medidas, o governador prometeu ampliar a política de atendimento e proteção à população idosa.

São público-alvo do programa as pessoas com 60 anos ou mais, que preferencialmente sejam sozinhas, expostas à situação de vulnerabilidade em razão de vínculos fragilizados e risco social e sem acesso à moradia. Como requisito, os idosos beneficiários não podem ter renda que ultrapasse dois salários mínimos, devem residir há pelo menos dois anos no município, além de terem autonomia para realizar tarefas diárias.

Programa Vida Longa

Com até 28 unidades, os conjuntos habitacionais terão imóveis de 28 m² de área privativa cada, distribuídos em cozinha, sala de estar e dormitório conjugados, banheiro e área de serviço. Constam no projeto itens de segurança e acessibilidade, como barras de apoio, pias e louças sanitárias em altura adequada, portas e corredores mais largos, interruptores em quantidade e altura ideais, alarmes de emergência sonoros e luminosos, piso antiderrapante, entre outros. Recursos de acessibilidade também serão instalados nas áreas comuns para facilitar a locomoção e dar segurança e conforto ao idoso.

O Vida Longa é uma ação conjunta entre a Secretaria de Estado da Habitação, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) e a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, articulada com os municípios paulistas interessados. As cidades participantes são responsáveis pela indicação dos beneficiários potenciais, pela doação de terrenos para a construção dos imóveis e pelas gestão e manutenção dos empreendimentos após a conclusão das obras. O programa é um aperfeiçoamento do antigo Vila Dignidade.