Tradição de avós garante a continuidade das Festas de Folia de Reis que fecha ciclo natalino

Folia de Santos Reis em Caraguatatuba, em 2019, que nãoaparece  no calendário  da cidade em 2020 Foto: Secom/PMC

As festas de  Folia de Reis que a partir de hoje  – 6 de janeiro Dia de Reis- celebram o fim do ciclo das comemorações do Natal estão sendo comemoradas em dezenas de cidades brasileiras graças ao trabalho de muitos idosos que se empenham em passar para os jovens as tradições que receberam de seus avós.

No interior de São Paulo, em vários municípios, a manifestação que nasceu essencialmente religiosa católica, acabou por se tornar uma marca cultural. Embora a representação seja alusiva a passagem bíblica em que Jesus Cristo foi visitado pelos Reis Magos, assim como o Natal deixou de ser somente seguida pelos fiéis e se transformou numa tradição folclórica ecumênica. Atualmente muitos grupos se transformaram em ONGs e têm ajuda financeira de prefeituras e por isso as vezes se apresentam em outras datas, como grupo cultural.

Em Santo Antônio da Alegria, cidade que – segundo o mapa de Projeções Populacionais da Fundação SEADE – chegará em 1º de julho de 2020 com cerca de 6637 mil habitantes, sendo deles cerca de 20% de idosos, no próximo final de semana terá o 42º Encontro de Companhias de Santos Reis.

Em Aparecida está marcado para o período de 17  a 19 de janeiro, o XVII  Encontro Nacional de Companhias de Reis.

Origens históricas

Trazida ao Brasil pelos portugueses, no período colonial, a Folia de Reis, que também é chamada em alguns lugares de Terno de Reis, segundo o Dicionário do Folclore Brasileiro de Câmara Cascudo, está relacionada às “Jornadas de Pastorinhas”, formada por moças na Europa, que na época do Natal percorriam as casas pedindo doações, usando a música como agradecimento.  As “Companhias de Reis” nasceram em pequenos povoados como uma versão camponesa do que as pastorinhas faziam nas cidades.

Na narrativa bíblica, os reis magos saíra do Oriente à procura do recém-nascido menino Jesus a fim de adorá-lo e oferecer-lhe presentes. Apesar de serem descritos em algumas versões apenas como magos (termo utilizado para referir-se a homens sábios, eruditos), ao longo da história passara a ser chamados de reis, por isso, são conhecidos hoje como “três reis magos”.

A Folia de Reis é um auto popular, um teatro do povo  comemorada de modo particular em cada região do Brasil, que adotou formas e expressões locais na música, na dança e nas orações.