Brasil foi o primeiro depoimento sobre Pastoral da Pessoa Idosa no Congresso do Vaticano

Parte da delegação brasileira em Roma
Parte da delegação brasileira em Roma

A desorientação social, a indiferença e a rejeição que as nossas sociedades têm pelos idosos, chamam não apenas a Igreja, mas todos para uma reflexão séria a fim de aprender a acolher e apreciar o valor da velhice, disse  o Papa Francisco, na manhã da sexta-feira 31 de janeiro de 2020, na Sala Regia no Vaticano, para mais  de 600 pessoas participantes do primeiro Congresso Internacional da Pastoral dos Idosos.

Na conferência com o tema “A riqueza dos anos”, promovida pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, participaram 163 pessoas do Brasil, sendo 23 do Estado de SP, de 5 Dioceses do Regional Sul 1 CNBB: Limeira, Jundiai, Bauru, Arquidiocese de SP e Arquidiocese de Aparecida.

Foram 60 países participando, com a organização a cargo de Vittorio Scienzo, que esteve em Curitiba, no ano passado, na sede da nacional brasileira da PPI-Pastoral da Pessoa Idosa.

O Brasil foi o primeiro à falar através de Dom Peruzzo sobre a Pastoral da Pessoa Idosa. Em seguida outros paises, Angola, Chile, Estados Unidos, Argentina, Irlanda e Itália, cada qual falando sobre o que desenvolve. Escutamos experiências enriquecedoras, contou Sandra Michelin, coordenadora da Pastoral da Pessoa Idosa no Estado de São Paulo, que permanece em Roma.