Conselho da Pessoa Idosa do Acre criou Comissão Especial de fiscalização na Covid-19

Entrevista com Vanda Matos, presidente do CEDI-AC– Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa do Acre, para a série Conselhos e Fóruns Estaduais na Pandemia.

Passados mais de dois meses do início da pandemia do Covid-19 no Brasil, o Acre, Estado a noroeste do país, na Floresta Amazônica está na linha ascendente dos casos de contaminação.  Segundo o boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus entre os acreanos, no começo da noite de ontem, são mais de  3 mil pessoas infectadas e 80 pessoas perdidas.

Com a intenção de saber qual a atuação do CEDI-AC – Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa do Acre  neste período de isolamento, o Jornal da 3a Idade conversou com a sua presidente, Antonia Vanda Matos de Souza- que todos tratam com Vanda Matos- que é assistente social com especialização em políticas Sociais e também vice-presidente do Conselho Regional do Serviço Social do Acre.

Jornal da 3a Idade – O CEDI-AC está conseguindo realizar alguma atuação específica para os idosos, nesse momento de pandemia do Covid-19?

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC- Conselho Estadual dos Direitos do Idoso do Acre Estamos trabalhando de forma remota, cada um na sua casa. Tivemos nossa 1ª Reunião Extraordinária por vídeoconferência em abril, onde deliberamos a formação da Comissão Especial para o enfrentamento de COVID-19 nas ILPIs no Acre. Esta comissão se reuniu ontem (entrevista feita no dia 21/05/2020), também por vídeconferência. A comissão tem o objetivo de articular ações entre as instituições e órgãos da rede protetora do idoso no estado para prevenir a infecção dos idosos residentes nas ILPIs”.

Jornal da 3a Idade – Qual é a composição dessa Comissão Especial?

Vanda Matos de, presidente do CEDI-AC– Comissão Especial de Acompanhamento e Fiscalização no enfrentamento ao COVID- 19 em Instituições de Longa Permanência do Estado do Acre foi criada pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa do Acre, por meio da Resolução n° 005, de 27 de abril de 2020. Ela é composta por conselheiros do CEDI, por representantes do Ministério Público, da Defensoria Pública, do Departamento da Vigilância Sanitária Estadual e Municipal, do Conselho Municipal do Idoso de Rio Branco, das secretarias Estadual e Municipal de Saúde e presidente de uma ILPI da Capital.

Jornal da 3a Idade – Então vocês decidiram que o foco do Conselho está no acompanhamento das ILPI, durante a pandemia?

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC– Sim, nesse momento vamos centrar uma preocupação com os idosos que estão abrigados, mas pretendemos acompanhar todas as situações na medida que forem surgindo.

Jornal da 3a Idade – Quantas ILPI existem no Acre?

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC– Que a gente saiba são duas, filantrópicas ligadas aos vicentinos. Uma em Rio Branco e outra em Cruzeiro do Sul, na Região do Juruá.

Jornal da 3a Idade – Somente essas duas em todo o Estado?

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC– Exclusivamente para os idosos somente essas.Existe uma em Tarauacá (cidade a 400 km da capital) um abrigo, que também atende idosos. Não temos ainda todas as informações sobre ele, sabemos que é uma freira chamada Nelda, que faz esse trabalho há muito tempo.

Jornal da 3a Idade – Qual é a capacidade de abrigamento de idosos nessas ILPI?

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC– No Lar Vicentino de Cruzeiro do Sul a capacidade é de 30 idosos e estão com 28 moradores. O Lar Vicentino de Rio Branco tem capacidade para 58 idosos, mas estão com 55 agora.

Jornal da 3a Idade – A Comissão Especial conseguiu fazer algum repasse para as ILPI? Que tipo de apoio está conseguindo oferecer? 

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC– Estamos passando orientação e os protocolos que devem ser adotados nesse momento. Passamos orientação das adequações sanitárias necessárias. Não passamos recurso financeiro, fazendo articulações com o governo federal para o recebimento de apoio nesse sentido. No dia 13 de maio o Secretário Toninho (Secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa – do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos)  fez uma reunião com os conselhos da pessoa idosa da Região Norte para tratar disso. Eles vão fazer um repasse para as ILPI e querem o levantamento de todas elas. 

Jornal da 3a Idade – A senhora já sabe quanto cada ILPI do Acre vai receber de verba de apoio?

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC Ainda não. O governo federal vai primeiro atender as entidades que não recebem nenhum tipo de ajuda, aquelas que não tem nenhum convênio e somente depois as demais. Seis do Pará, em especial Marajó e uma de Rondônia, já conseguiram. As nossas duas, embora filantrópicas, mantêm convênios com o Estado e a Prefeitura.

Jornal da 3a Idade – Vocês tiveram alguma perda entre os idosos da ILPI?

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC– Tivemos até agora somente uma, no Lar de Rio Branco.

Jornal da 3a Idade – Os idosos da população estão acatando a orientação do isolamento? Eles estão ficando em casa? Em vários lugares da Região Norte existe a reclamação dos idosos não estarem acatando as orientações para quarentena.

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC Conversamos sobre isso na nossa reunião virtual e as pessoas acreditam que a maioria dos idosos estão acatando, o problema está nos familiares. Os idosos ficam em casa e acabam convivendo com pessoas que saem, que não ficam isoladas. O perigo da contaminação está nessa convivência. Eu tenho uma amiga a mãe dela, que não saia de casa está internada. Penso que está faltando mais orientação específica sobre os riscos de contaminação para os idosos. Julgo que deveria ter uma responsabilização dos familiares no que se refere a falta de cuidados com os idosos. Principalmente quem tem em casa pessoa com 80 anos ou mais tem que ter muito cuidado.

Jornal da 3a Idade – A maioria das vítimas no Acre também é de idosos? 

Vanda Matos, presidente do CEDI-AC– Pelo boletim oficial a maioria dos contaminados são de pessoas com menos de 60 anos. 

Situação da Covid-19 no Acre até o começo da noite de 22/5/2020