Metrô de São Paulo terá “vagão do acolhimento” informação sobre Depressão

Imagem reproduz uma ilustração do guia “Depressão: quando saber falar e ouvir inspira a vida”.

Começa hoje em duas linhas do Metrô de São Paulo uma ação educativa voltada para a conscientização sobre a Depressão, considerada a principal causa de incapacidade no mundo e um dos principais transtornos mentais relacionados ao suicídio.

Durante todo o mês de setembro, um vagão da linha 4-Amarela – chamado de “vagão do acolhimento” – estará personalizado com expressões que utilizamos no dia a dia quando falamos da doença e que, muitas vezes, vêm carregadas de julgamentos, prejudicando quem precisa de ajuda especializada.

Vídeos animados também serão transmitidos nos monitores dos trens e estações fazendo um convite à população: “Palavras importam – Informe-se e faça bom uso delas”, com QR code que redirecionará para um guia completo que explica como dialogar de maneira mais empática e acolhedora sobre Depressão.

A versão impressa do guia Depressão: quando saber falar e ouvir inspira a vida estará disponível gratuitamente nas 27 estações que compõem as linhas 4-Amarela e 5-Lilás. O material, que também pode ser encontrado para download no site do movimento, traz exemplos práticos sobre como abordar o tema Depressão de maneira mais adequada. Além disso, painéis informativos estarão instalados nas estações para reforçar a ação.

Os organizadores alertam que não é preciso sair de casa só para ter acesso as esses materiais, que também estão disponíveis do site do projeto Falar Inspira Vida, que tem como objetivo requalificar a conversa sobre a Depressão por meio do conhecimento, contribuindo para um ambiente mais favorável a quem precisa de apoio especializado.

O projeto tem a participação de renomadas instituições: Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (ABRATA), Centro de Valorização da Vida (CVV), Departamento de Psiquiatria da UNIFESP, Instituto Crônicos do Dia a Dia (CDD), Instituto Vita Alere, Vitalk e revista VEJA Saúde e é liderado pela Janssen, farmacêutica da Johnson & Johnson.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Depressão afeta cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo (4,4% da população mundial). No Brasil, a prevalência é um pouco maior do que a média: 5,5% ou um total de 11,5 milhões de brasileiros, número que, nas Américas, só é superado pelos Estados Unidos. Ainda de acordo com a OMS, são registrados cerca de 11 mil suicídios todos os anos no país e mais de 800 mil no mundo, sendo que 97% dos casos estão relacionados a transtornos mentais e, em primeiro lugar, à Depressão.