Morre Padre Ticão, importante liderança dos Movimentos e Pastorais Sociais da Zona Leste

Padre Ticão
Padre Ticão que vai fazer falta para os pobres da Zona Leste da capital, em São Paulo.

O Padre Ticão, reconhecido pela sua importante trajetoria entre os movimentos sociais e formação de pastorais, principalmente na Zona Leste da capital, em São Paulo, morreu na noite de ontem, 1º de janeiro de 2021, no Hospital Santa Marcelina. Ele tinha 68 anos de idade, dos quais 42 como sacerdote.

Ele passou mal pela manhã, estava com insuficiência respiratória, mas os exames deram negativo para a COVID19. Na primeira nota do hospital foi diagnosticado ” uma descompensação de sua insuficiência cardíaca pré-existente, que causou redução da oxigenação sanguínea”.

O Padre Antônio Marchioni- o Padre Ticão – era uma das mais respeitadas lideranças políticas daquele pedaço paulistano. Ele era titular na Igreja de São Francisco de Assis, principal local de encontro dos movimentos sociais de Ermelino Matarazzo. Ele se destacou nos anos 70 ajudando na organização do movimento por moradias. Foi um dos fundadores históricos do PT- Partido dos Trabalhadores, mas conseguiu mais tarde ser apoiado pelo governador Mário Covas. Era uma daquelas poucas pessoas com trânsito em vários segmentos políticos apesar da língua afiada. Na festa que a comunidade fez para ele em 2012, quando completou 60 anos de idade e 30 anos de paróquia, a missa contou com a presença do Governador Geraldo Alckmin, do deputado federal Gabriel Chalita e do então senador Eduardo Suplicy, que eram oposição entre si, além de vários outros políticos. Como fez em todo período pré-eleitoral, também recentemente mobilizou a comunidade para cobrar dos candidatos as necessidades da região.

O NCI- Núcleo de Convivência do Idoso Tereza Bugolim, na Vila Robertina, que em 5 de outubro passado festejou seus 23 anos, com suas atividades sendo referência no trabalho com idosos na periferia de São Paulo, foi uma das suas criações.

velório ocorre até as 14h de hoje, na Igreja São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, na Zona Leste de São Paulo. Depois o enterro será enterrado no Cemitério do Carmo, em Itaquera.