Na Argentina cuidados com os filhos passam a contar para a aposentadoria e 155 mil mulheres, com idades entre 60 e 64 anos, serão beneficiadas de forma imediata

A partir de agosto de 2021, a Argentina passará a contar, por lei, o tempo que as mulheres dedicaram para cuidado com seus filhos, como tempo de trabalho para a aposentadoria. 

A medida beneficiará de forma imediata cerca de 155 mil mulheres mães, com idades entre 60 e 64 anos, que estão prestes a se aposentar, mas que não têm os 30 anos de contribuição exigidos por lei. No momento em que a mulher entrar com o pedido, o benefício será contado como tempo de serviço. 

Serão seguidos alguns critérios: será incluído um ano de contribuição para cada filho; serão incluídos dois anos de contribuição para cada filho adotado; serão incluídos três anos de contribuição para cada filho com deficiência.

As mães que recebem algum tipo de benefício de assistência social, como o equivalente ao Bolsa Família, poderão acrescentar mais 2 anos por filho.

O governo argentino quer assim reconhecer o cuidado que as mães tiveram dedicando tempo aos seus filhos, sendo que em muitos casos, elas interromperam suas carreiras.