Arujá, SP, instituiu o Programa Ativa Idade para reinserção de idosos no mercado de trabalho

Reinserção no mercado de trabalho é uma aspiração de várias pessoas idosas, não só dos que precisam completar renda. Foto: pixabay
Reinserção no mercado de trabalho é uma aspiração de várias pessoas idosas, não só dos que precisam completar renda. Foto: pixabay

A Prefeitura Municipal de Arujá, cidade da Grande São Paulo, está trabalhando no Programa Ativa Idade, instituído pela Lei nº 3.391/19/7/2021, destinado a promover a reinserção de idosos no mercado de trabalho.   

A Secretaria Municipal de Assistência Social passará a divulgar aos idosos cadastrados, vagas oferecidas por empresas, organizações do terceiro setor e pelo próprio poder público. Também faz parte do programa, cursos de capacitação, de informática e reciclagem profissional.

Para a assistente social Maria Regina Miranda Grubba, presidente do Conselho Municipal do Idoso de Arujá, a ressignificação da vida da pessoa idosa envolve as diversas dimensões do ser, entendendo o idoso em sua integralidade. 

 A pessoa idosa deveria buscar atividades laborais, quando motivadas por escolhas para realização pessoal. O ideal seria que as pessoas fossem movidas pelo desejo de buscar projetos de vida e felicidade, não só a necessidade financeira. Infelizmente não é esta a nossa realidade. O Conselho está apoiando em Arujá, a busca de apoios para que  organizações da sociedade civil desenvolvam um projeto que tenha como eixo a geração de renda, mas atrelada à aprendizagem ao longo da vida, o crescimento pessoal, a convivência intergeracional, a organização de coletivos de luta por direitos de cidadania e criação de estratégias de ajudas mútuas,  como cooperativas, feiras de artesanato, formas de divulgação  nas redes dos produtos da comunidade e outras, explicou a presidente do CMI.

Neste projeto está se desenhando o apoio para que pessoas idosas que tenham determinadas habilidades de suas experiências anteriores, venham a ser monitores remunerados na formação de jovens de suas comunidades, como por exemplo, oficinas de manutenção doméstica, com noções de elétrica, pequenos consertos e instalações. Culinária, artesanato, jardinagem, cultivo de flores e hortaliças é uma vocação do município. Por  outro lado, os jovens serão convidados a ensinar aquilo que já dominam bem, como o conhecimento de uso de celulares, aplicativos, pesquisas na internet e outros recursos das redes.

A Prefeitura Municipal de Arujá, cidade da Grande São Paulo, está trabalhando no Programa Ativa Idade, instituído pela Lei N.O 3.391 DE 19 DE JULHO DE 2021, destinado a promover a reinserção de idosos no mercado de trabalho.   

A Secretaria Municipal de Assistência Social passará a divulgar aos idosos cadastrados, vagas oferecidas por empresas, organizações do terceiro setor e pelo próprio poder público. Também faz parte do programa cursos de capacitação, de informática e reciclagem profissional.

Para a assistente social Maria Regina Miranda Grubba, presidente do Conselho Municipal do Idoso de Arujá, a ressignificação da vida da pessoa idosa envolve as diversas dimensões do ser, entendendo o idoso em sua integralidade. 

 A pessoa idosa deveria buscar atividades laborais, quando motivadas por escolhas para realização pessoal. O ideal seria que as pessoas fossem movidas pelo desejo de buscar projetos de vida e felicidade, não só a necessidade financeira. Infelizmente não é esta a nossa realidade. O Conselho está apoiando em Arujá, a busca de apoios para que  organizações da sociedade civil desenvolvam um projeto que tenha como eixo a geração de renda, mas atrelada à aprendizagem ao longo da vida, o crescimento pessoal, a convivência intergeracional, a organização de coletivos de luta por direitos de cidadania e criação de estratégias de ajudas mútuas,  como cooperativas, feiras de artesanato, formas de divulgação  nas redes dos produtos da comunidade e outras, explicou a presidente do CMI.

Neste projeto está se desenhando o apoio para que pessoas idosas que tenham determinadas habilidades de suas experiências anteriores, venham a ser monitores remunerados na formação de jovens de suas comunidades, como, por exemplo, oficinas de manutenção doméstica, com noções de elétrica, pequenos consertos e instalações. Culinária, artesanato, jardinagem, cultivo de flores e hortaliças é uma vocação do município. Por  outro lado, os jovens serão convidados a ensinar aquilo que já dominam bem, como o conhecimento de uso de celulares, aplicativos, pesquisas na internet e outros recursos das redes.