Livro sobre os 100 anos da insulina tem relatos dos que convivem há muitos anos com diabetes

100 Anos de Insulina: A Descoberta Que Salva A Vida De Milhões de Pessoas é o título do livro da jornalista paulista, Letícia Martins que desde 2012 escreve sobre as pesquisas e tratamentos da Diabetes.

O trabalho é a forma de comemorar esse marco da história da medicina, conquistado em 27 de julho de 1921, pelos médicos canadenses Frederick Bantin e Charles Beste. 

A insulina é retratada como “hormônio da vida” e é produzida pelo pâncreas, podendo ser obtida tanto de animais, quanto em laboratórios, visando tratamento médico.

O corpo humano precisa de glicose e sem ela, ou sem controle da sua produção, começam os sintomas da Diabetes, com emagrecimento acentuado, muita necessidade de urinar e beber água. Os principais tipos da Diabetes são o tipo 1 e o tipo 2, que apresentam algumas diferenças, como em relação à sua causa, podendo ser autoimune, como no caso do tipo 1, ou associada a genética e hábitos de vida, como acontece no tipo 2.

Nossa ideia foi reunir histórias de pessoas de diferentes idades, portadoras da Diabetes, em capítulos que vão contando a evolução dos tratamentos. Junto com os depoimentos também a fala de médicos e profissionais. O primeiro capitulo é “E se não existisse insulina”, que entrevista a Carmen Wills que hoje tem 90 anos de idade e 71 de controle da doença. Se ela tivesse sido diagnosticada 10 anos antes é bem possível que nem estivesse mais aqui para contar sua história, que é incrível. Ela superou o diagnóstico de que não poderia ser mãe, venceu um câncer de mama e tem quase a idade da descoberta da insulina, conta a autora.

O livro pode ser adquirido através da Momento Saúde Editora.