Maria Ressa e Dmitry Muratov dois jornalistas veteranos ganharam o Prêmio Nobel da Paz 2021 por defesa da liberdade de expressão

“O jornalismo gratuito, independente e baseado em fatos serve para proteger contra o abuso de poder, mentiras e propaganda de guerra. A liberdade de expressão e a liberdade de informação ajudam a garantir um público informado”, afirmou a Academia Real das Ciências da Suécia ao anunciar dois jornalistas veteranos para o Prêmio Nobel da Paz 2021.

Os jornalistas, Maria Ressa e Dmitry Muratov, receberam hoje, 8 de outubro, o Nobel da Paz “pela corajosa luta” nas Filipinas e na Rússia. Eles vão dividir o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,3 milhões).

Maria Angelita Ressa é uma jornalista e autora filipina, mais conhecida por ter criado a Rappler, uma agência de notícias em Manila. Antes ela tinha sido, por quase 20 anos, repórter investigativa no Sudeste Asiático para a CNN. Ela completou dia 2 de de outubro 58 anos.

Dmitry Andreyevich Muratov é um jornalista russo, criador do da Novaya Gazeta, em 1995, que já teve seis jornalistas assassinados. Ele vai completar, no próximo dia 30 de de outubro seus 60 anos.

“Os laureados são representantes de todos os jornalistas que defendem este ideal em um mundo em que a democracia e a liberdade de imprensa enfrentam condições cada vez mais adversas”, afirmou Berit Reiss-Anderson, presidente do conselho do Nobel.