Regressão de São Paulo para nova quarentena pode adiar data da Eleição do GCMI

O adiamento da data das “Eleição 2020 ” do GCMI- Grande Conselho Municipal do Idoso de São Paulo, marcada para o próximo sábado, dia 5 de dezembro, poderá ser confirmado até amanhã, caso a Secretaria Municipal dos Direitos Humanos atenda a solicitação de dezenas de Fóruns de Idosos e grupos de terceira idade.

Hoje (30/11), um dia após as eleições, o Governador João Dória deve anunciar a atualização do plano de combate à covid-19 no Estado, e a regressão de várias cidades para a fase de quarentena. A Capital preocupa por que está aumentando muito os casos de contaminação.

A Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos, que é coordenada pela jornalista,  Claudia Carletto, a quem o GCMI é vinculado, até hoje não apresentou nenhum documento oficial que explique porque não é possível adiar.

No dia 26 de novembro um abaixo-assinado foi aberto na Internet pedindo o adiamento da Eleição 2020 do GCMI-Grande Conselho Municipal do Idoso.

Na sexta-feira passada, 27 de novembro, uma reunião foi feita com a Defensora Pública, Renata Flores Tibyriçá, coordenadora do Núcleo Especializado dos Direitos da Pessoa Idosa e da Pessoa com Deficiência, com representantes dos Fóruns de Idosos, de todas as macrorregiões, solicitando ajuda para o adiamento da Eleição do GCMI.

Por que é preciso adiar?

O motivo maior é o fato da maioria dos idosos terem encontrando dificuldades para fazer a inscrição virtual, que foi disponibilizada num formulário grande e complexo. Assim quem não se inscrever até hoje terá que ir votar presencialmente.

Um documento do Colegiado Leste, movimento que reúne os Fóruns da Pessoa Idosa de 10 distritos – Mooca, V. Prudente, Sapopemba, Itaquera, São Miguel, Penha, Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista, Cidade Tiradentes, Guaianazes – divulgado, na tarde da última quinta-feira (26/11) também pediu o adiamento da eleição. Segundo seus coordenadores, a maioria do seu público é um eleitor presencial, que será correrá risco de vida se tiver que sair para votar.