Tomiko Born falecida ontem, foi homenageada em Caldas, MG, cidade que adotou há 18 anos

Tomiko Born. Foto: reprodução da sua foto no Facebook
Reprodução da foto de abertura da 1ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, de 2006, quando a Tomiko Born falou em nome dos idosos do país, na presença do então presidente Luiz Inácio da Silva e a esposa Marisa Letícia da Silva. Foto: jornal3idade.com.br

Reunir pouco mais de 60 pessoas, na semana em que a própria Prefeitura da cidade e a maior parte dos órgãos públicos estão de recesso, devido às festas, foi um grande acontecimento, ainda que triste, na pequena cidade de Caldas, no Sul de Minas Gerais. Amigos e admiradores foram dar o último adeus a professora, gerontóloga e ambientalista Tomiko Born, que faleceu ontem, 27 de dezembro de 2021, no hospital da Unimed, em Poços de Caldas, por volta das 16h30.

A partida de Tomiko não muda a vida somente dos que a admiravam. Muda também a vida da cidade de Caldas, que ela escolheu há 18 anos para morar. Ser generoso sempre e não deixar de lutar nunca é o maior legado que a ela deixa para todos nós. Ela buscou até o fim transformar essa realidade tão dura que vivemos no Brasil, disse o vereador da cidade, Daniel Tygel (PT).

Daniel, de 41 anos, tem menos da metade dos 89 anos que tinha Tomiko, e era um dos seus grandes amigos e companheiros de lutas pelo meio ambiente da região. Por isso foi convidado pelo viúvo, o artista plástico Hans Born, de 86 anos, a fazer o discurso de despedida com corpo presente, que antecedeu ao início do processo de cremação, que se dará em Limeira.

Desde que foi morar na cidade, em 2003, a convite do escritor Rubens Alves, falecido em 2014, Tomiko abriu novas frentes de trabalho. Mesmo antes de assumir o comando da redação do Jornal Sonha Caldas, após o falecimento dele, ajudou a criar associações ambientalistas, num trabalho aparentemente diferente de toda a sua carreira de assistente social, professora e uma das pioneiras da gerontologia no Brasil.

Ela ajudou a criar a Associação Pedra Branca, uma entidade ambientalista que vem ganhando projeção nacional, pela resistência ao processo de mineração que tem devastado a Serra da Pedra Branca. Também foi uma das fundadoras da Associação Oportunidade, criada em 2001.

O grupo de consumo responsável, um dos trabalhos que a Tomiko ajudou a criar, teve uma efervescência enorme nos últimos tempos. Toda semana era uma confusão de pessoas indo buscar cogumelos, frutas, legumes, sucos, geleias, tudo orgânico. O barracão era na casa dela, que esteve sempre à frente da organização. Em 2018, no auge da polêmica das eleições, com toda a região polarizada nas campanhas, a Tomiko já com mais de 85 anos, andava debaixo do maior calor fazendo campanha para o Haddad, conta o vereador Daniel Tygel.

Livro que Tomiko Born ajudou a organizar, no começo do trabalho com idosos na cidade de São Paulo, no final dos anos 80.

Tomiko Born queria muito chegar aos 90 anos com saúde e lucidez. Uma frase sua que ficou bastante conhecida foi proferida às vésperas de completar 70 anos: Quem vai cuidar de mim quando eu ficar velha? 

Ela não teve tempo de saber. Foi ela que cuidou de muita gente até o fim.

Em entrevista Tomiko Born contou sua trajetória

Conheça um pouco mais da Tomiko na entrevista concedida a Especialista em Gerontologia, Marília Berzins, ao canal O que Rola na Geronto

Nota da Aliança em Prol da APA da Pedra Branca

A Aliança em Prol da APA da Pedra Branca vem a público, com imensa tristeza, comunicar o falecimento da amiga e apoiadora Tomiko Born.

Desde que se mudou para Caldas, junto com seu companheiro Hans, Tomiko sempre se engajou nas lutas socioambientais de Caldas e da região da Serra da Pedra Branca.

Tomiko e Hans vieram para Caldas a convite do escritor Rubem Alves, que fundou o jornal Sonha Caldas. Após seu falecimento, Tomiko assumiu a direção do jornal, que passou a contar com o apoio e parceria da Aliança

Tomiko atuou e presidiu a Associação Oportunidade, que mais tarde viria a compor a Aliança. Ela apoiou todas as ações da Aliança, desde sua fundação, seja como sócia-contribuidora, seja com a venda de produtos para financiar a organização. O Barracão de Artes e Criatividades foi palco de diversas ações da Aliança.

Nos últimos anos, dedicou muitas energias ao CORE, grupo de consumo responsável batizado por Tomiko. Por inúmeras vezes, produziu geleias e disputadíssimos biscoitos, cujo valor da venda foi revertido ao grupo e à Aliança.

Na última edição do Festival de Violas e Sonhos, Tomiko foi homenageada e fez um discurso defendendo mais investimentos em arte e cultura na cidade de Caldas: “Senhor Prefeito, vamos investir [em cultura]! eu não posso deixar de clamar por este tipo de coisa. É preciso que o povo sonhe, porque é através dos sonhos que conseguimos realizar essas coisas maravilhosas”, disse ela.

A Aliança em Prol da APA da Pedra Branca compartilha no dia de hoje a dor da perda com todas e todos que puderam conviver com Tomiko, e partilhar do seu amor pela arte, pela natureza e pela vida.

Seguimos trabalhando com a certeza de que o melhor que podemos fazer pela memória de Tomiko é continuar nosso trabalho em defesa do meio ambiente e da justiça social.

Tomiko, que o eterno sol te ilumine! Por aqui, buscaremos seguir seu exemplo de vida: solidariedade e dedicação ao bem comum. 

Viva Tomiko, presente hoje e sempre!