São Paulo começa em 29/3, a aplicar a 4ª dose da vacina contra COVID-9 nos 70+

A cidade de São Paulo começa amanhã, 29 de março, a aplicar a quarta dose da vacina contra a COVID-19 nas pessoas idosas de 70 anos, que tomaram a terceira dose (primeira dose adicional) há pelo menos quatro meses. A vacinação será feita com os imunizantes disponíveis.

Dos 556 mil idosos com mais de 70 anos que residem na capital, 450.347 estão elegíveis para receber a segunda dose de reforço. Para se vacinar, é necessário apresentar um documento de identificação, preferencialmente Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), além da carteirinha com o registro das doses recebidas anteriormente.

A imunização acontecerá em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs)/UBSs Integradas, que funcionam das 7h às 19h, além dos megapostos e drive-thrus, das 8h às 17h. Além da vacinação nos postos, a Atenção Básica, por meio da Estratégia Saúde da Família (ESF), vai imunizar os idosos nas Instituições de Longa Permanência (ILPIs) e em domicílio para aqueles acamados e impossibilitados de se locomoverem até as unidades.

Desde a sexta-feira 18/3 a capital está vacinando as pessoas de 80 anos e mais e grupos com problemas no sistema imunológico com a quarta dose contra a COVID-19.

São Paulo começou a aplicar vacina contra a gripe para todas as faixas etárias

Devido ao aumento dos casos de gripe e a baixa procura pelo imunizante no ano passado, a Prefeitura de São Paulo decidiu ampliar a vacinação e desde ontem, 27/3, todos os moradores da cidade, de qualquer faixa etária, podem tomar a vacina contra o vírus Influenza.

Essa vacina contra a gripe é do estoque de 2021, por isso não previne contra a nova cepa que tem circulado nos últimos meses, chamada de Darwin (H3N2). Mas essa vacinação é importante para prevenir outras gripes.

O vírus influenza é uma doença infecciosa febril aguda que pode trazer maior risco de complicações para grupos mais vulneráveis, como idosos. A doença pode evoluir para formas mais graves, como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e até óbito. ]

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, não há necessidade de intervalo de aplicação entre a vacina contra a Influenza e a vacina contra a Covid-19.