Terezinha Bezerra de Lima trabalhará por Itaquera junto ao GCMI 2016-2018

Terezinha Bezerra de Lima, suplente de conselheira, no GCMI- Grande Conselho Municipal do Idoso, gestão 2016-2018. Foto: Jornal da 3a Idade
Terezinha Bezerra de Lima, suplente de conselheira, no GCMI- Grande Conselho Municipal do Idoso, gestão 2016-2018. Foto: Jornal da 3a Idade
Terezinha Bezerra de Lima, suplente de conselheira, no GCMI- Grande Conselho Municipal do Idoso, gestão 2016-2018. Foto: Jornal da 3a Idade

Terezinha Bezerra de Lima, de 72 anos, funcionária pública aposentada pela Secretaria Municipal da Saúde, concorreu a conselheira para a gestão 2016-2018, do GCMI- Grande Conselho Municipal do Idoso e ficou como suplente da Zona Leste.

Ela participa do Conselho Gestor de Saúde da Zona Leste, da Associação Beneficente Esporte, Cultura e Lazer Nosso Sonho, em Itaquera, do Grupo da Terceira Idade Amor Perfeito e é voluntária no Hospital Municipal Dr. Waldomiro de Paula, aonde trabalhou por décadas.

Pernambucana, nascida na cidade de Belo Jardim, ela está em São Paulo há 55 anos, tem 2 filhos e três netos.

Terezinha, como todos a tratam, já foi conselheira na gestão 2010-2012. Independente do cargo, ela diz que continua atuando no movimento de idosos para conseguir melhorias para todos e para a região de Itaquera, em particular.

Jornal da 3ª Idade- O grupo de terceira idade que a senhora participa é um dos mais antigos da cidade. Lá o pessoal está fazendo somente passeios ou existe roda de conversa sobre políticas públicas?

Terezinha Bezerra de Lima- O Grupo da Terceira Idade Amor Perfeito é coordenado pela dona Maria Gusmarte, que tem 86 anos e é uma pessoa muito ativa. O grupo existe há mais de 20 anos e tem a frequência assídua de 80 senhoras. Funcionamos num espaço cedido pelo CDHU há muitos anos, mas estamos perdendo esse lugar para uma construção do Minha Casa Minha Vida. Quando tinha a Secretaria de Participação e Parceria, nós tínhamos oficinas e professores mantidos pela Prefeitura e assim conseguíamos desenvolver rodas de conversa. Com a mudança de Secretaria houve um desmonte nesses programas de oficinas e hoje não temos nada. Então o que sobrou foram só os passeios e os bingos que nós fazemos para divertir o pessoal e todos custeados por nós mesmos.

Jornal da 3ª Idade- Aonde esse grupo se reúne tem mais idosos?

Terezinha Bezerra de Lima- O grupo é basicamente de moradores do Conjunto Residencial José Bonifácio, mas temos mais idosos no entorno. Por isso precisamos de um apoio para termos um espaço. A gente quer mesmo ter um Centro de Convivência. Nós fomos falar com a Dra. Guiomar na Coordenadoria do Idoso da Prefeitura atual e fomos atendidos pelo Eduardo. Eles conseguiram agendar uma conversa com a COHAB. Acho que eles ajudaram um pouco, porque estamos continuando até agora, mas ainda estamos sem expectativa de futuro.

Jornal da 3ª Idade- Qual é o perfil do idoso do seu pedaço da cidade?

Terezinha Bezerra de Lima- Nosso bairro é também um bairro dormitório, aonde os jovens e adultos que tem emprego saem cedo para trabalhar. Alguns jovens, porque muitos não têm emprego e ficam o dia inteiro sem ter o que fazer largados na rua, sem atividades programadas para eles. Para os idosos também não têm atividades oferecidas pelos governos, nem estadual, nem municipal.

Jornal da 3ª Idade- Os idosos têm seus grupos de terceira idade que é uma forma de organização e mesmo em lugares mais carentes de recursos eles conseguem se manter.

Terezinha Bezerra de Lima- É que os idosos, mesmo ganhando pouco, têm suas aposentadorias. Muitos de nós têm sua casa própria, que mesmo modesta, já nos tirou do pagamento do aluguel. Então nós conseguimos fazer os nossos passeios e viagens. Os jovens que não tem renda ficam largados sem ter opção. E isso não é coisa boa.

Jornal da 3ª Idade- Há algum tempo foi colocada uma praça de lazer, com equipamentos para os idosos perto do seu conjunto residencial. Ela está sendo usada?

Terezinha Bezerra de Lima- A Praça Mãe Menininha Do Gantois foi aberta na comunidade com intenção de ser usada principalmente pelos idosos, mas os jovens tomaram conta e usam muito. A gente não acha ruim, porque eles têm que ter atividades mesmo. A verdade é que a Região de Itaquera está abandonada de maneira geral.

Jornal da 3ª Idade- Mas o CRI Leste- Centro de Referência do Idoso, mantido pelo Governo do Estado, não é um bom apoio para a Região?

Terezinha Bezerra de Lima- O CRI Leste tem tudo para o idoso, mas só serve para o pessoal do entorno de São Miguel. Daqui eles não atendem ninguém. A gente pode estar necessitada de uma consulta médica que não é atendido porque o território de Itaquera e Guaianases não abrange a área deles. Eles mandam procurar o município. Aqui a gente só se vale com as UBS e as AMAs. Mesmo o Hospital Dr. Waldomiro de Paula, que é quem nos atende está precisando de muitos recursos. Então tudo nosso tem que ser com muita luta. E é essa luta que pretendo continuar chamando dentro do Conselho do Idoso.

Matérias relacionadas:
Conselheiros eleitos para defender os idosos da cidade de São Paulo até 2018